quarta-feira, 14 de março de 2007

Shhhhhhhhht!

Acordei em silêncio.
A minha respiração parecia mais ofegante.
O coração tava forte, mas preguiçoso
Eu tenho um estetoscópio embutido? Arram, tens, ô aberração.

Nenhum carro, um ou outro passarinho.
Eram bem-te-vis. Tavam no maior papo.
Voltei pra infância. Eles cantavam lá na casa "velha" também.
Aquela de tábuas pintadas de branco e janelas azuis - com grades nas salas.
A mesma que quando eu tava puto da cara, no auge dos meus 5 ou 6 anos, dava coice (isso!) na parede. Ainda escuto o barulho de tábua e ferro.
Ah, mas eu chutava devagar, pq tinha medo de derrubar o lado inteiro.
Imaginava que os grandes pregos que a sustentavam ficariam tortos
E os vizinhos achariam estranho a casa aberta do lado que ficava virado pra rua.

Os bem-te-vis continuam cantando.
Mas eu, finalmente, derrubei as paredes. As minhas.
Mas não sou tolo, não. Coloquei tapumes ao redor.
Só entra quem eu deixo, e na hora que eu quero.
Tem um cão de guarda e uma placa de afaste-se bem grande.

Parei pra uma aguinha nas obras.
Bom pra mim.
Plim-plim!

4 comentários:

Michelle Castro disse...

Te imaginei dando coice com um baita bicão. Fofo :)
Ah, e tem mesmo essa placa. Rssss
Beeeeijos,
Mi

Le Vin au Blog é um espaço criado disse...

Blog novo! Gostei. :)

Espero que a vida esteja boa.
Beijos.

sintiamilena disse...

Gostei!
Preciso de tapumes e plaquinhas pra mim... hehehehe

Beijão amigo!!!

Fran disse...

Ô, Tratante! (nem precisava de assinatura depois dessa, né? hahha)
Blogs não atualizados perdem leitores, sabia?
Trabalhando demais, é?
Vê se aparece! ;)
Bjs