terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Pedala, Rodrigo!

É curioso como uma obrigação pode virar diversão. Mesmo em situações aparentemente bobas. Como essa:

Realmente não tenho muita paciência para academia. Ao menos desde que saí de Piçarras. Lugar pequeno, pessoal bacana, donos-professores gente boníssima.


Agora não. Muita gente, horário ruim (mesmo que seja a hora que der), exercícios que me dão sono. E vontade de ir praticamente só na quarta-feira, quando tem jogo bom na TV, quando a gente está na esteira.

Enrolei, fiz que ia e não fui, até que mandei arrumar a bicicleta. Não a minha, porque a que eu tinha roubaram no meu antiiigo prédio e tiveram a cara de pau de me deixar uma muito da podre.

Prejú no bolso pra arrumar a magrela. E a barriga nada de sumir. Primeiro passeio. Uma morrebinha. Cheguei esbaforido no bairro Iririú, só uns quatro ou cinco quilômetros do meu apê. Ainda pedalei, na chuva. E me senti esperto porque fiz uma gambiarra para o MP3 ficar pendurado. Graaaaaande coisa!

Andei mais uns dois dias. Até o centro. Parada no shopping pra comer. Volta. Arruma mais a bike. Coloca outro descanso, dá um banho esfregando tudo. Quebra o selim, arruma. Põe retrovisor.

E não é que comecei a curtir? Eu, a bike e o vento.

Acho que o bom é não ter pressa. Como disse um amigo meu, pedalante profissional. "É o tempo ideal. A pé não dá, e de carro tu não percebe nada". Ainda que sutilmente, transgride-se. Uma contramão muito bem-vinda, que evita a subida e ainda serve atalho.

Dane-se a calçada, é só empinar a roda da frente. E dependendo da hora e lugar, eu vou muito mais rápido que os carros. Que realmente não tão muito aí pros bicicleteiros e ciclistas. Qual a diferença? Eu sou bicicleteiro. O Márcio May é ciclista. Somos quase dois extremos. Tem gente que não concorda muito com a minha classificação, "pejorativa". Só podem ser bicicleteiros que nem eu, né?

Agora que venho e vou para o trabalho de bike quase todo dia (e sem cansar!), ainda me surpreendo e me curto o que vejo e percebo. Como passei tantos anos sem isso? Não é tudo que deveria fazer. Mas já ajuda um pouco.
Nem precisa fazer piadinha. Eu mesmo me encarrego disso: pedala Rodrigo!

2 comentários:

Fernanda Watzko disse...

Meus parabéns!!
"Pedalando e cantando..."
huahauah

Beeeeeijo meu querido!!

tchurila disse...

Achei q encontraria um post mais recente, entretanto todos são inéditos pra mim. Deveria acessar seu blog no início das minhas férias, já teria lido td e estaria a par...hehe.

Adorei td sobre a bicicleta, até pq moro numa cidade onde ela é o principal meio de transporte. No flog ja contei algumas peripécias de assaltos, passeios, etc...enfim...

Saudaaaaaaaaaaaaaade de tu!!!!
Imensas mesmo!
Estarei mais presente, claaaro!

E deixe de ser preguiçoso e vá a academia!!!! =)
Bjooos