sábado, 26 de janeiro de 2008

O Caçador de sonhos


O barulho do vento, as cores das pipas, do céu muito azul, ainda estão na cabeça. Ficaram adormecidos por alguns meses. E apareceram na telona. O livro não está entre os meus favoritos, o final também não, mas a idéia, essa sim. "O Caçador de Pipas" é bom e ruim, e acho que por isso mesmo é best seller. Tanto filme, quanto livro.

Uma história sutil contada em duzentas e poucas páginas. Ou em parte delas. Gostei muito, muito do começo, da sensibilidade do autor. Mas a volta de Amir ao Afeganistão mais pareceu uma viagem ao México das novelas. Muito drama, exagero. um passo a mais, e outro a mais. Tipo aquele jogador que já fez toda a jogada e quer dar mais um toque.

Estranhamente, aí está um mérito do filme suprimiu aquele dramalhão para levar Sohrab para a América. Ainda bem que Kosehini se achou no final com aquela cena da pipa, que era até previsivel como amarra. Mesmo assim, encanta.

Estava curioso para ver, em segundos, as descrições das cenas que engoliam páginas. Gostei de muitas, como os encontros no alto da colina: "Hassan e Amir, Sultões de Cabul". Hassan, com seu rosto de lua cheia e seu sorriso simples, é incrivelmente parecido com as descrições. Não fosse o lábio leporino, que está naas páginas e ficou de lado na adaptação, seria perfeito.

A conturbada relação entre Baba e Amir também passou meio batida. Uma fala apenas, praticamente. Imaginava baba com um vozerão, um cara grande, tipo um Brutus (aquele do Popeye) de turbante. Mesmo assim, é a melhor atuação entre os adultos. Soraya e o general Taheri também são super Parecidos. Soraya, seus cabelos e seu "nariz adunco". As atuações ficaram devendo. Tudo bem, a gente acostumado com hollywood e novela da globo, e ator do Afeganistão que de repente vira rosto conhecido em todo o planeta. Não foram mal, mas estiveram longe de ser brilhantes. Repito, as crianças foram demais!

Ah! faltou a conversa importantíssima entre Soraya Jan e Amor eles no telefone. E o soco Inglês de Assef, quando pequeno e depois, no Talibã. Muito boa a cena importante do filme, quando pegam Hassan! Maldito trailer, que estraga o segredo logo de cara.

E minha última crítica: Caramba, que mal feita a cena da briga no final. Po, podiam ter caprichado mais. Parecia que tavam com pressa. Outra observação: Tudo bem que deve ter sido um perrengue rodar o filme e falar do afeganistão, mas o quebra-pau dos russos e do Talibã passou quase despercebido.

Não vi outros, mas acho que O Caçador de Pipas mereceu a indicação ao Oscar pela emoção que consegue transmitir. Mesmo se estendendo por duas horas e capando detalhes no livro. Lágrimas, daquela que a gente nem sente que estão chegando, logo vão. Não ardem, só aliviam.


"Há uma maneira de ser bom de novo"
"Por você, faria isso mil vezes"


Difícil quem tenha visto e não tenha saído do cinema com as duas falas no ouvido, como se alguém sussurrasse.
No fundo, mexe com algo que todo mundo deve ter dentro de si: Uma chance de corrigir um erro do passado. É uma história de esperança e desgraça do homem. Comigo, funcionou bem. E A trilha sonora só fez melhorar.

Ainda não viu?

O site oficial é esse aqui e tem muita coisa:

www.kiterunnermovie.com

2 comentários:

Raquel disse...

Mano,
concordo com algumas coisas e com outras não (que bom né? ahahaha)
Vi o filme no dia seguinte que vcs foram embora.. o livro já tinha lido;)
a coisa que de cara me arrepiou foi a escolha das crianças, principalmente o Hassan! Deus do céu, tirando o lábio, era o menino do livro!!! O livro me arrancou lágrimas, o filme também.... me emocionei muiiitas vezes. Claro que detalhes importantes ficaram ausentes, mas é compreensível, nunca dá pra retratar tudo... Tá, não vou escrever tudo que achei aqui né, deixo o assunto pra falarmos ao vivo, mas gostei muito do teu texto!

" Por você, faria isso mil vezes"

te amo.
mana

mARINA mONTEIRO disse...

eu até que gostei do baba, mas o assef deixou muito por desejar....sim faltou o soco ingles....e os aspectos fisicos que o livro passava eram mais impactantes...a impressão que eu tenho é que a coisa foi corrida no final, entao foi tudo meio por cima...o que diminui um pouco do drama em excesso, mas peca na omissão de detalhes.....os meninos eu levava pra casa.....em termos de atuação foram as melhores....o céu e as pipas lindos.....mas a melhor parte do livro e do filme é a infância deles............depois fica meio clichê......mas ainda assim tocante....

uffa...

ó desenbestei a falar.....mas é que gostei de umas coisas que vc escreveu.

bj
MArina.